COMO ATRAVESSAR LOCAIS ALAGADOS
Quem já não ficou retido em um alagamento? Antes de colocar o carro na água, verifique as condições e a distância a ser atravessada. Só cruze o local se o nível da água estiver abaixo da metade da roda. Mesmo assim é preciso muito cuidado. Engate a primeira marcha e mantenha aceleração constante, sem tirar o pé do acelerador, para a água não entrar no sistema de escapamento. Durante a travessia ande bem devagar. Se correr, há o risco da água ser lançada para dentro do cofre e gerar uma pane no sistema elétrico, fazendo o motor apagar. Outro risco mais sério: o bocal do filtro de ar pode sugar essa água para dentro dos cilindros e provocar um calço hidráulico, travando os pistões e danificando irremediavelmente o motor.

ENFRENTANDO TEMPORAL NA ESTRADA
Copas de árvores se agitando de um lado para outro é sinal de ventos fortes. Reduza a velocidade na estrada e fique preparado para surpresas. Seu carro pode ser envolvido a qualquer momento por uma tempestade, chuva de grazino ou vendaval. No início, as gotas de chuva se misturam à poeira do asfalto e deixam o piso bastante escorregadio. Quando caírem os primeiros pingos de água acenda os faróis e acione os limpadores de pára-brisa. Se a tormenta se intensificar evite estacionar no acostamento. Procure um local seguro, como uma área de descanso para parar o carro. Atenção: os vendavais costumam jogar galhos na pista e provocar danos aos veículos.

PROFUNDIDADE DOS SULCOS DOS PNEUS
Desenhados para escoar a água em contato com a banda de rodagem, os sulcos dos pneus devem manter uma profundidade mínima de 1,6mm. Abaixo dessa medida, passam a perder a aderência quando em contato com o chão molhado ou em condições de baixo atrito. Além disso, carros com pneus lisos estão sujeitos a multa na estrada. Alguns modelos de pneus vêm com indicador de desgaste, em geral uma marca gravada ou marca de tinta na borracha. Por isso, não se esqueça de fazer o rodízio de pneus a cada 10 mil km - para tornar o desgaste mais uniforme- e não hesite em trocá-los quando estiverem gastos.

TIRANDO O MÁXIMO PROVEITO DO MOTOR
Dirigir carro popular exige uma conduta diferente da usada em outros modelos. Com 1.000 cc, esses carrinhos exigem o uso excessivo do acelerador e freqüentes reduções de marchas para acompanhar os demais veículos. Para extrair o máximo rendimento de um popular na estrada, mantenha sempre rotações elevadas, esticando bem todas as marchas. Atualmente, a maioria dos populares equipados com injeção eletrônica traz um dispositivo que corta a ignição/alimentação quando a rotação atinge seu limite, evitando danos ao motor.

EVITANDO DESGASTES
Manter o pé na embreagem quando parar o carro em ponto morto, aumenta consideravelmente o desgaste no setor.

MARCADOR DE TEMPERATURA DO MOTOR
Quando ocorrer falha na "ventoinha do radiador do seu carro", o motor poderá ferver em poucos minutos. Se isto acontecer, é recomendável parar o carro, desligar o motor e não abrir a tampa do radiador até que este esteja frio.

LADEIRAS
Manter o câmbio engrenado ao descer ladeiras proporciona menor gasto de combustível, maior segurança e menor desgaste de freio.

CHASSI
Pulverizar o chassi do carro com óleo queimado ou de mamona estraga as borrachas de suspensão e as mangueiras, além de acumular poeira.

PARTIDA
Dar a partida pisando no pedal da embreagem alivia o esforço do motor de arranque. Além disso, em caso da possível distração de tê-lo deixado engrenado, é possível evitar uma colisão acidental.

ACELERAR
Logo pela manhã, o óleo ainda não circulou pelo motor do carro, dar a partida acelerando para esquentar o motor mais rapidamente provoca maior desgaste nas peças não lubrificadas.

PNEUS
Segundo a legislação, a profundidade dos sulcos (canais) dos pneus do carro deve ser de no mínimo 1.6 mm. Abaixo dessa medida há o risco de derrapagens e aquaplanagens.

COMBUSTÍVEL
Deixar o carro constantemente como o tanque vazio propicia o acúmulo de detritos, que fatalmente são despejados no carburador ou nos bicos injetores do motor.

ÓLEOS
A mistura de óleo sintético com óleo natural faz com que os mesmos percam viscosidade e não haja lubrificação do motor.

BATERIA
Em veículos com injeção eletrônica não adianta dar tranco que o carro não pega. Com a bateria fraca, a bomba de gasolina não consegue pressurizar o combustível nos bicos injetores. Para resolver o problema pode-se utilizar a famosa "chupeta", de acordo com a polaridade das baterias.

LIMPEZA DO RADIADOR
O sistema de refrigeração é um sistema fechado/selado. Este sistema vem montado desta forma de fábrica porque raramente precisa de algum tipo de manutenção, exceto pela troca dos líquidos contidos em seu interior.

Alguns fabricantes recomendam a troca da solução a cada 10 000 km. Caso você tenha que completar o nível da água com frequência é provável que haja algum tipo de vazamento. Além de possíveis vazamentos, ao longo do tempo dentro do sistema de arrefecimento, começa um processo de acúmulo de partículas (impurezas da água, corrosão das galerias, aditivos de má-qualidade, detritos das mangueiras, etc), que podem comprometer o funcionamento do sistema, provocando superaquecimento e consequente fundimento do motor.

Portanto, para proceder à manutenção necessária, revise todas as mangueiras e dê um aperto geral em todas as abraçadeiras (há alguns tipos de abraçadeiras que não requerem apertos elas são colocadas e retiradas com uma ferramenta própria). Sempre faça a manutenção com o motor frio, pois o sistema contém alta pressão e atinge elevadas temperaturas causando queimaduras graves.

O aditivo utilizado é de fundamental importância, pois ele altera as propriedades físico-químicas da água, de modo que a mesma tenha a sua temperatura de ebulição elevada e a de congelamento abaixada. Desta forma um aditivo de má procedência ou até a sua ausência (que não é raro), irá favorecer menor eficiência na refrigeração do motor, bem como as consequências do aquecimento excessivo. Por outro lado se você reside em regiões muito frias, estará sujeito ao inverso, o que pode ser também muito ruim, já que pode haver o congelamento da água do sistema, ocasionando rompimento de mangueiras, tubos/dutos do radiador e em situações extremas, até mesmo micro fissuras no bloco do motor, já que a água aumenta de volume quando congela.

Por estas razões, fornecemos a seguir um tutorial de como realizar a manutenção do sistema de arrefecimento de seu carro. Depois de uma verificação visual e a constatação de que não há vazamentos, passemos para o primeiro passo:

Retire a Tampa.
Você deve abrir a tampa de expansão (ou a tampa do radiador), para facilitar a drenagem. Essa operação deve ser feita com o motor desligado e frio.

Solte a água.
Solte a mangueira inferior do radiador de forma que a água escoe.

Verifique a cor da água.
Dependendo do tempo e do estado do sistema, a água deve sair com uma cor "alaranjada" do tipo “ferrugem”.

Lavar o sistema.
Coloque uma mangueira dentro do reservatório de água (vaso ou tanque de expansão), deixando a água escorrer até sair limpa pela mangueira inferior que foi solta.

Lave o reservatório de água (vaso de expansão).
Retire o vaso de expansão e lave-o em água corrente.

Reaperte a mangueira e recoloque o vaso de expansão.
Depois de lavar o vaso de expansão, coloque-o em seu lugar, e depois aperte a mangueira inferior do radiador.
Reabasteça o sistema.

Compre aditivo para água do radiador a base de ethileno-glicol. Note, existem aditivos falsos ou de má qualidade, portanto escolha uma marca conhecida ou de sua confiança. Geralmente em concessionárias você encontra produtos de boa procedência.
Como Misturar.

Siga as instruções no manual do fabricante do carro, mas se no manual não houver instruções para este procedimento, adicione os fluídos na seguinte proporção: 60% de água filtrada ou destilada para 40% de aditivo a base de ethileno-glicol.

Ligue o carro.
Depois de seguir todas as instruções acima, feche a tampa do reservatório de expansão, certifique-se que todas as mangueiras foram conectadas. Após isso ligue o carro e deixe-o funcionando em marcha-lenta, até a ventoinha entrar em funcionamento, e verifique a existência de eventuais vazamentos.

No mais, você vai ter a certeza de contar com um sistema de arrefecimento funcionando em perfeitas condições, garantindo entre outras coisas, também uma maior durabilidade de seu motor.

 

Av. Capitão Luiz Horneaux, 448 - São Vicente - SP - DISK PEÇAS: (13) 3563.4108
© COPYRIGHT 2014 - VICENTAOAUTOPECAS.COM.BR - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS - PÁGINA DESENVOLVIDA POR: 
WEBCRIAL